I REIS

A história dos reis israelitas começa nos livros de Samuel e continua no Primeiro Livro dos Reis. Este livro pode ser dividido em três partes:

1. o começo do reinado de Salomão em Israel e em Judá e morte do seu pai Davi.
2. o reinado e as realizações de Salomão, especialmente a construção do Templo em Jerusalém.
3. a divisão da nação em dois reinos, o do Norte e o do Sul, e a história dos reis que os governaram até a metade do século nove antes de Cristo.

Nos dois livros dos Reis cada rei é julgado de acordo com sua fidelidade a Deus: o progresso da nação depende da fidelidade do seu rei, ao passo que a idolatria e a desobediência levam à desgraça. Os reis do reino do Norte falharam todos nessa prova, enquanto que em Judá alguns reis falharam e outros não.

No Primeiro Livro dos Reis aparecem os profetas de Deus, homens corajosos que falavam em nome Dele e que diziam ao povo que não adorasse ídolos nem desobedecessem a Deus. Especialmente notáveis são: Elias e a história da sua discussão com os profetas de Baal (cap. 18)

A VELHICE DE DAVI

"O rei Davi estava bem velho. Os seus servidores o cobriam com cobertas, mas ele não conseguia se aquecer. Por isso, os seus conselheiros disseram:
- Rei Davi, nós vamos procurar uma moça para ficar com o senhor e cuidar do senhor. Ela dormirá ao seu lado e o conservará quente.
Então procuraram em toda a terra de Israel uma moça bonita. Em Suném encontraram uma jovem chamada Abisague e a levaram ao rei.Abisague era muito bonita. Ela servia o rei e cuidava dele, mas Davi não teve relações com ela." (I REIS 1 v. 1-4)

ADONIAS TENTA SER REI

"Absalão havia morrido. Agora o filho mais velho de Davi que ainda estava vivo era Adonias, filho de Davi com Hagite. Adonias era um homem muito bonito. Davi nunca o havia repreendido, e ele queria muito ser rei. Adonias arranjou carros de guerra e cavalos e cinqüenta homens que iam a toda parte com ele. Adonias falou com Joabe, que era filho de uma mulher chamada Zeruia, e com Abiatar, o sacerdote, e eles concordaram em ficar do lado dele. Mas o sacerdote Zadoque e Benaías, filho de Joiada, Natã, o profeta, Simei, Reí e os guarda-costas de Davi não ficaram do lado de Adonias.

Um dia Adonias ofereceu ovelhas, touros e bezerros gordos em sacrifício, na pedra da Cobra, perto da fonte de Rogel. Ele convidou os outros filhos do rei Davi e os servidores do rei que eram de Judá. Porém não convidou o seu meio-irmão Salomão, nem Natã, o profeta, nem Benaías, nem os guarda-costas de Davi." (I REIS 1 v. 5-10)

SALOMÃO É FEITO REI

"Então Natã foi falar com Bate-Seba, a mãe de Salomão. Natã perguntou:
- Você soube que Adonias, o filho de Hagite, se fez rei? E o rei Davi não está sabendo de nada! Vou lhe dar um conselho: se você quiser salvar a sua vida e a vida do seu filho Salomão,  vá agora mesmo falar com o rei Davi e diga o seguinte: 'Rei Davi, o senhor não jurou que o meu filho Salomão seria rei em seu lugar e que seria ele quem haveria de sentar no seu trono? Então, como é que Adonias se tornou rei?'

E Natã continuou:
- E aí, quando você ainda estiver falando com o rei, eu vou chegar e confirmar a sua história.

Então Bate-Seba foi ao quarto de dormir do rei para falar com ele. Davi estava muito velho, e Abisague, a moça de Suném, estava cuidando dele. Em sinal de respeito, Bate-Seba se ajoelhou diante do rei. Então ele perguntou:
- O que você quer?

Ela respondeu:
- Rei Davi, o senhor jurou pelo nome do Eterno, seu Deus, que o meu filho Salomão seria o rei em seu lugar e sentaria no seu trono. Mas Adonias já se tornou rei, e o senhor não está sabendo disso. Ele ofereceu muitos touros, ovelhas e bezerros gordos em sacrifício e convidou os irmãos dele, o sacerdote Abiatar e Joabe, o comandante do exército, para a festa. Porém não convidou o seu filho Salomão. Rei Davi, todo o povo de Israel está esperando que o senhor lhe diga quem será o rei em seu lugar. Se não disser, logo que o senhor morrer, eu e o meu filho Salomão seremos tratados como traidores.

Enquanto Bate-Seba ainda estava falando, Natã chegou ao palácio. Contaram ao rei que o profeta Natã estava lá. Ele entrou, se ajoelhou diante do rei e encostou o rosto no chão. Depois disse:
- Rei Davi, por acaso, o senhor anunciou que Adonias é quem será o rei em seu lugar? Hoje mesmo ele foi oferecer muitos touros, ovelhas e bezerros gordos em sacrifício. Convidou todos os filhos do senhor, convidou Joabe, o comandante do seu exército, e Abiatar, o sacerdote. E agora mesmo eles estão comendo e bebendo com ele e gritando: “Viva o rei Adonias!” Mas Adonias não me convidou e não convidou Zadoque, o sacerdote, nem Benaías, nem Salomão.  Será que o senhor aprovou tudo isso e não contou pelo menos aos seus conselheiros quem será o rei em seu lugar?

O rei Davi disse:
- Chamem Bate-Seba.

Ela voltou e ficou diante dele. Aí o rei lhe disse:
- Eu prometo pelo Deus vivo, que me livrou de todas as aflições, que hoje eu cumprirei o juramento que fiz a você, em nome do Eterno, o Deus de Israel: o juramento de que o seu filho Salomão seria o rei em meu lugar.

Bate-Seba se ajoelhou, encostou o rosto no chão e disse:
- Que o meu senhor, o rei Davi, viva para sempre!

Então Davi mandou buscar o sacerdote Zadoque, o profeta Natã e Benaías, filho de Joiada. Quando eles entraram, Davi disse:
- Levem com vocês os funcionários do meu palácio, façam o meu filho Salomão montar a minha própria mula e o levem até a fonte de Giom. Ali Zadoque e Natã o ungirão rei de Israel. Depois toquem as cornetas e gritem: 'Viva o rei Salomão!' Em seguida venham atrás dele quando vier sentar-se no meu trono. Ele será rei em meu lugar porque eu o escolhi para governar Israel e Judá.
- Assim será feito! - respondeu Benaías.
- E que o Eterno, seu Deus, confirme isso! E que, assim como o Deus Eterno tem estado com o senhor, ele esteja também com Salomão e faça com que o reino dele seja ainda maior do que o seu!

Então Zadoque, Natã, Benaías e os guarda-costas do rei fizeram Salomão montar a mula do rei Davi e o acompanharam até a fonte de Giom. Zadoque levou a vasilha de azeite que havia tirado da Tenda da Presença de Deus e ungiu Salomão. Então tocaram a corneta, e o povo gritou:
- Viva o rei Salomão!

Depois todos foram andando atrás de Salomão, gritando de alegria e tocando flauta; e faziam tanto barulho, que até parecia que a terra estava rachando.

Adonias e todos os seus convidados tinham acabado de comer quando ouviram aquele barulho. Joabe ouviu o som da corneta e perguntou:
- O que quer dizer essa barulhada na cidade?

Ele ainda estava falando quando chegou Jônatas, filho de Abiatar, o sacerdote. Adonias disse a Jônatas:
- Entre aqui. Você é um homem de valor e deve estar trazendo boas notícias.
- Pelo contrário, - respondeu Jônatas - o rei Davi tornou Salomão rei. Ele mandou Zadoque, Natã, Benaías e os guarda-costas dele acompanharem Salomão. Eles fizeram Salomão montar a mula do rei Davi, e Zadoque e Natã o ungiram rei, na fonte de Giom. Depois voltaram para a cidade, gritando de alegria, e agora o povo está fazendo um grande alvoroço. É esse o barulho que vocês estão ouvindo. Agora Salomão é o rei. E além disso os funcionários do palácio foram cumprimentar o rei Davi para dar-lhe os parabéns. Eles disseram: 'Que o seu Deus faça com que Salomão seja ainda mais famoso do que o senhor, e que o reino dele seja ainda maior do que o seu!' Aí, o rei se curvou na cama e orou assim: 'Louvado seja o Eterno, o Deus de Israel, que hoje colocou um dos meus descendentes como rei em meu lugar e deixou que eu vivesse para ver isso!'

Então os convidados de Adonias ficaram com medo, e se levantaram, e foram embora, cada um pelo seu caminho. Adonias ficou com muito medo de Salomão e por isso foi para a Tenda da Presença de Deus e ficou segurando nas pontas do altar.

Contaram ao rei Salomão que Adonias estava com medo dele e que tinha ido pegar nas pontas do altar e tinha dito:
- Eu quero que o rei Salomão jure hoje que não mandará me matar à espada.

Salomão disse:
- Se ele provar que é um homem de palavra, eu juro que nem um fio dos seus cabelos será tocado; mas, se estiver com más intenções, ele morrerá.

Então o rei Salomão mandou buscar Adonias. Fizeram com que ele descesse do altar, e ele veio, se ajoelhou diante do rei e encostou o rosto no chão. E o rei lhe disse:
- Vá para casa." (I REIS 1 v. 1-53)

OS ÚLTIMOS CONSELHOS DE DAVI A SALOMÃO

"Quando estava chegando o dia da morte de Davi, ele deu conselhos ao seu filho Salomão. Davi disse:
- Está chegando o dia da minha morte. Portanto, seja corajoso e seja homem! E faça aquilo que o Eterno, seu Deus, manda. Obedeça a todas as Suas leis e mandamentos, como estão escritos na Lei de Moisés. Assim você será bem sucedido aonde quer que for e em tudo o que fizer. Se você obedecer ao Deus Eterno, Ele cumprirá a promessa que me fez. Ele me prometeu que os meus descendentes governariam Israel enquanto obedecessem cuidadosamente e fielmente aos Seus mandamentos, com todo o seu coração e com toda a sua alma.

Além disso, você sabe o que Joabe, cuja mãe é Zeruia, me fez. Ele matou os dois comandantes do exército de Israel, isto é, Abner, filho de Ner, e Amasa, filho de Jéter. Você sabe como, em tempo de paz, ele os matou para vingar as mortes que eles haviam causado em tempo de guerra. Joabe matou homens inocentes, e agora eu sou o responsável pelo que ele fez e estou sofrendo as conseqüências. Você sabe o que deve fazer. Não deixe que ele tenha morte natural.

Mas seja bondoso para os filhos de Barzilai, que é de Gileade, e deixe que eles comam à sua mesa, pois foram bons para mim quando eu estava fugindo do seu irmão Absalão.

Davi continuou:
- E não esqueça Simei, filho de Gera, da cidade de Baurim, no território da tribo de Benjamim. Ele me amaldiçoou duramente no dia em que fui a Maanaim. Porém, quando eu me encontrei com ele perto do rio Jordão, jurei em nome do Eterno que não o mandaria matar. Mas você é um homem sábio e não deve deixar que ele fique sem castigo. Você sabe o que deve fazer para que ele morra. Davi morreu e foi sepultado ao lado dos seus antepassados na Cidade de Davi." (I REIS 2 v. 1-9)

A MORTE DE DAVI

"Davi morreu e foi sepultado ao lado dos seus antepassados na Cidade de Davi. Ele foi rei de Israel quarenta anos. Governou sete anos em Hebrom e trinta e três anos em Jerusalém.  Salomão ficou no lugar de Davi, o seu pai, como rei, e o seu governo se fortaleceu muito." (I REIS 2 v.10-12)

A MORTE DE ADONIAS

Então Adonias, filho de Hagite, foi visitar Bate-Seba, a mãe de Salomão. Ela perguntou:
- A sua visita é de amigo? - É, sim! —respondeu ele.
E continuou:
- Eu quero lhe dizer uma coisa.
- Diga! - disse ela.
E Adonias disse:
- A senhora sabe que sou eu quem deveria ser o rei e que todos esperavam isso em Israel. Mas as coisas aconteceram de modo diferente, e o meu irmão se tornou rei porque essa era a vontade de Deus, o Senhor. Agora vou lhe fazer só um pedido e peço que a senhora me atenda.
- O que você quer? - perguntou Bate-Seba.
E ele disse:
- Peça ao rei Salomão que me dê Abisague, a moça de Suném, para ser minha mulher. Eu sei que Salomão não deixará de atender um pedido seu.
- Está bem! - respondeu ela. - Eu vou falar com o rei por você.
Então Bate-Seba foi falar com o rei em favor de Adonias. Salomão se levantou para recebê-la e se inclinou diante dela. Depois sentou-se no seu trono e mandou que trouxessem um trono para Bate-Seba, e ela se sentou do lado direito do rei. Aí Bate-Seba disse:
- Tenho um pequeno pedido para lhe fazer. Por favor, não recuse.
E o rei disse:
- Pode pedir, minha mãe. Eu não recusarei.
Bate-Seba disse:
- Dê Abisague em casamento ao seu irmão Adonias.
- Por que é que a senhora está pedindo Abisague para Adonias? - perguntou Salomão. - A senhora deveria pedir que eu dê a ele também o reino. Afinal, Adonias é o meu irmão mais velho, e o sacerdote Abiatar e Joabe estão do lado dele!
Aí Salomão jurou pelo Senhor Deus assim:
- Que Deus me castigue, e em dobro, se eu não fizer Adonias pagar com a vida por ter feito esse pedido! O Senhor Deus me firmou no trono do meu pai Davi; Ele cumpriu a Sua promessa e deu o reino a mim e aos meus descendentes. Juro pelo Deus vivo que Adonias morrerá hoje mesmo!
Então o rei deu ordem a Benaías, e ele foi, atacou Adonias e o matou. (IREIS 2 v. 13-25)

ABIATAR É EXPULSO

Depois o rei Salomão disse ao sacerdote Abiatar:
- Vá para as suas terras em Anatote. Você merece morrer, mas eu não vou mandar matá-lo hoje porque você, quando estava com o meu pai Davi, era o encarregado da arca da aliança e passou pelas mesmas dificuldades pelas quais o meu pai passou.
Depois Salomão dispensou Abiatar do serviço de sacerdote de Deus e assim fez com que acontecesse o que o Senhor Deus tinha dito em Siló a respeito do sacerdote Eli e dos seus descendentes.
Joabe soube do que aconteceu. (Ele havia passado para o lado de Adonias, porém não havia passado para o lado de Absalão.) Então fugiu para a Tenda da Presença do Senhor Deus e ficou segurando nas pontas do altar. Contaram ao rei Salomão que Joabe havia fugido para a Tenda e estava ao lado do altar. Aí ele mandou um mensageiro perguntar a Joabe por que havia fugido para o altar. Joabe respondeu que havia fugido para o Senhor Deus porque estava com medo de Salomão. Então Salomão mandou que Benaías fosse matar Joabe.  Benaías foi até a Tenda de Deus e disse a Joabe:
- O rei mandou você sair daí.
- Não saio! - respondeu Joabe. - Eu morrerei aqui.
Então Benaías voltou e contou ao rei o que Joabe tinha dito.
Aí Salomão ordenou:
- Faça o que ele disse. Mate-o e sepulte-o. Assim nem eu nem os descendentes do meu pai Davi seremos mais considerados culpados pelo que Joabe fez quando matou homens inocentes. O Senhor Deus castigará Joabe pelos assassinatos que cometeu sem o conhecimento do meu pai Davi. Sem o meu pai saber, Joabe matou dois homens que eram inocentes e que eram melhores do que ele: Abner, comandante do exército de Israel, e Amasa, comandante do exército de Judá.
O castigo pelo assassinato desses dois homens cairá para sempre sobre Joabe e sobre os seus descendentes. Mas o Senhor sempre dará prosperidade aos descendentes de Davi que forem reis depois dele.
Então Benaías foi até a Tenda de Deus e matou Joabe. Ele foi sepultado na sua propriedade, em campo aberto. O rei pôs Benaías como comandante do exército no lugar de Joabe e colocou o sacerdote Zadoque no lugar de Abiatar. (IREIS 2 v. 26-35)

A MORTE DE SIMEI

Depois o rei Salomão mandou buscar Simei e disse:
- Faça uma casa para você aqui em Jerusalém. Fique morando nela e não saia da cidade. E fique sabendo que, no dia em que você sair e atravessar o ribeirão Cedrom, você será morto, e a culpa será somente sua.
- Está bem, ó rei! - respondeu Simei.
- Eu prometo fazer o que o senhor está mandando. E ele ficou morando em Jerusalém por muito tempo.
Acontece que, três anos depois, dois escravos de Simei fugiram e foram procurar refúgio com o governador da cidade de Gate, que era Aquis, filho de Maacá. Simei ficou sabendo; por isso, selou o seu jumento e foi até Gate falar com Aquis a fim de procurar os seus escravos. Ele os achou e os levou de volta para casa. Quando Salomão soube do que Simei havia feito, mandou buscá-lo e disse:
- Eu fiz você jurar em nome do Senhor que não sairia de Jerusalém. Eu lhe avisei que, se fizesse isso, você certamente morreria. Você concordou com isso e disse que me obedeceria. Então por que é que você quebrou o seu juramento feito em nome do Senhor e desobedeceu à minha ordem? Você sabe muito bem de todo o mal que fez a Davi, meu pai. O Senhor Deus fará com que a sua maldade caia sobre você mesmo, porém me abençoará e fará com que o reino de Davi fique seguro para sempre. Aí o rei deu ordem a Benaías, e ele saiu, atacou Simei e o matou. E assim Salomão controlou completamente a situação do seu governo.
(IREIS 2 v. 36-46)

SALOMÃO PEDE SABEDORIA A DEUS

"Salomão fez um acordo com Faraó, rei do Egito, casando com a sua filha. Ele a levou para morar na Cidade de Davi até que acabasse a construção do seu palácio e a construção do Templo e das muralhas em volta de Jerusalém. Ainda não havia sido construído um templo para Deus Eterno, e por isso o povo ainda continuava oferecendo sacrifícios em vários altares, nos montes. Salomão amava o Deus Eterno e seguia os conselhos de Davi, seu pai, mas também matava animais e os oferecia em sacrifício em vários altares, nos montes.

Certa vez, Salomão foi a Gibeão oferecer sacrifícios porque naquele lugar estava o altar mais famoso de todos. No passado ele havia queimado ali mil animais como sacrifício a Deus. Naquela noite, o Deus Eterno apareceu num sonho a Salomão e perguntou:
- O que você quer que Eu lhe dê?

Ele respondeu:
- Tu sempre mostraste grande amor por Davi, meu pai, teu servo, e ele era bom, fiel e honesto para Contigo. Tu continuaste a mostrar a ele o Teu grande e constante amor e lhe deste um filho que hoje governa no lugar dele. Ó Deus Eterno, Tu deixaste que eu ficasse como rei no lugar do meu pai, embora eu seja muito jovem e não saiba governar. Aqui estou eu no meio do povo que escolheste para ser Teu, um povo que é tão numeroso, que nem pode ser contado.Portanto, dá-me sabedoria para que eu possa governar o Teu povo com justiça e saber a diferença entre o bem e o mal. Se não for assim, como é que eu poderei governar este Teu grande povo?

Deus gostou de Salomão ter pedido isso e disse:
- Já que você pediu sabedoria para governar com justiça, em vez de pedir vida longa, ou riquezas, ou a morte dos seus inimigos, Eu darei o que você pediu. Darei a você sabedoria e inteligência, como ninguém teve antes de você, nem terá depois. Mas lhe darei também o que não pediu: durante toda a sua vida, você terá riquezas e honras, mais do que qualquer outro rei. E, se você Me obedecer e guardar as Minhas leis e os Meus mandamentos, como fez Davi, o seu pai, Eu lhe darei uma vida longa.
Quando acordou, Salomão compreendeu que Deus havia falado com ele no sonho. Então foi para Jerusalém, ficou diante da arca da aliança e apresentou a Deus ofertas de paz e sacrifícios que foram completamente queimados. Depois deu uma festa para todas as autoridades." (I REIS 3 v. 1-15)

SALOMÃO JULGA UM CASO DIFÍCIL

"Certo dia, duas prostitutas apresentaram-se diante do rei Salomão,e uma delas disse:
- Ó rei Salomão! Eu e esta mulher moramos na mesma casa. Eu dei à luz um menino, e ela estava lá comigo. Dois dias depois do nascimento do meu filho, ela também deu à luz um menino. Somente nós duas estávamos na casa; não havia mais ninguém lá. Uma noite, ela rolou sem querer sobre o seu filho e o sufocou. Então levantou-se durante a noite, enquanto eu dormia, pegou o meu filho e o colocou na cama dela. Depois colocou o menino morto nos meus braços. No outro dia de manhã, quando eu me levantei para dar de mamar ao meu filho, vi que estava morto. Porém, quando reparei bem, percebi que não era o meu filho.

Mas a outra mulher disse:
- Não é verdade. Pelo contrário, meu filho é o que está vivo, e o seu é o que está morto!
E a primeira mulher respondeu:
- Não é, não! A criança morta é a sua, e a viva é a minha!

E foi assim que discutiram na frente do rei.
Então o rei Salomão disse:
- Cada uma de vocês diz que a criança viva é a sua, e que a morta é da outra.

Então mandou buscar uma espada e, quando a trouxeram, disse:
- Cortem a criança viva pelo meio e dêem metade para cada uma destas mulheres.

A verdadeira mãe do menino, com o coração cheio de amor pelo filho, disse:
- Por favor, senhor, não mate o meu filho! Entregue-o a esta mulher!

Mas a outra disse:
- Podem cortá-lo em dois pedaços! Assim ele não será nem meu nem seu.

Aí Salomão disse:
- Não matem a criança! Entreguem o menino à primeira mulher porque ela é a mãe dele.

Todo o povo de Israel soube dessa decisão do rei Salomão, e aí todos sentiram um grande respeito por ele, pois viram que Deus lhe tinha dado sabedoria para julgar com justiça." (I REIS 3 v. 16-28)

A PROPRIEDADE DO REI SALOMÃO

O povo de Judá e de Israel era tão numeroso como os grãos de areia da praia do mar; eles comiam, bebiam e eram muito felizes. Do reino de Salomão faziam parte todas as nações que havia desde o rio Eufrates até a terra dos filisteus e até a fronteira do Egito. Esses reinos pagavam impostos a Salomão e foram dominados por ele durante toda a sua vida.
Os mantimentos que Salomão precisava todos os dias eram: três mil quilos de farinha de trigo e seis mil quilos de farinha de outros cereais; dez bois gordos, vinte bois de pasto e cem carneiros; fora veados, gazelas, corços e aves domésticas.
Salomão dominava toda a região a oeste do rio Eufrates, desde Tifsa, no Eufrates, até a cidade de Gaza, no litoral do mar Mediterrâneo. Todos os reis a oeste do Eufrates eram dominados por ele, e ele estava em paz com todos os países vizinhos. Durante a vida de Salomão o povo de Judá e de Israel viveu em segurança, e de uma ponta do país à outra cada família tinha os seus pés de uvas e de figos.
Salomão tinha quatro mil baias para os cavalos dos seus carros de guerra e doze mil cavalos de cavalaria. Os seus doze administradores regionais, cada um no seu mês, forneciam os alimentos que Salomão precisava para si mesmo e para aqueles que comiam no palácio; os administradores não deixavam faltar nada. Cada um também fornecia a sua parte de cevada e de palha onde eram necessárias para os cavalos que puxavam os carros de guerra e para os animais de trabalho.
Deus deu a Salomão sabedoria, entendimento fora do comum e conhecimentos tão grandes, que não podiam ser medidos. Salomão era mais sábio do que qualquer homem do Oriente ou do Egito. Ele era mais sábio do que todos os homens: mais sábio do que Etã, o ezraíta, e do que Hemã, Calcol e Darda, filhos de Maol. E a sua fama se espalhou por todos os países vizinhos. Ele escreveu três mil provérbios e compôs mais de mil canções. Falou de árvores e plantas, desde os cedros do Líbano até o hissopo, que cresce nos muros; ele falou também dos animais, dos pássaros, dos animais que se arrastam pelo chão e dos peixes. Reis do mundo inteiro souberam da sabedoria de Salomão e mandaram pessoas para ouvi-lo. (IREIS 4 v. 20-34)

SALOMÃO PREPARA A CONSTRUÇÃO DO TEMPLO

Hirão, rei de Tiro, sempre havia sido amigo de Davi. Quando soube que Salomão era o rei em lugar do seu pai, enviou embaixadores a ele. Então Salomão mandou a Hirão a seguinte mensagem:
“Você sabe que Davi, o meu pai, teve muitas guerras contra as nações ao seu redor. Por isso, ele nunca pôde construir um templo dedicado ao Senhor, seu Deus, enquanto este não fez com que ele derrotasse todos os seus inimigos.
Mas agora o Senhor me deu paz em todas as fronteiras. Eu não tenho inimigos, e não há perigo de ataques. Deus prometeu o seguinte a Davi, o meu pai: ‘O seu filho, que Eu vou pôr como rei depois de você, construirá um templo para Mim.’ Portanto, eu resolvi construir um templo para a adoração do meu Deus, o Senhor. Por isso, mande cortar cedros do Líbano para mim. Os meus operários trabalharão junto com os seus, e eu pagarei aos seus operários o quanto você quiser. Como você sabe, no meio do meu povo não há quem saiba cortar árvores tão bem como a sua gente da cidade de Sidom.”
Quando recebeu a mensagem de Salomão, o rei Hirão ficou muito contente e disse:
- Louvado seja hoje o Senhor, que deu a Davi um filho cheio de sabedoria para ficar no lugar dele como rei daquela grande nação!
Depois mandou dizer a Salomão o seguinte:
- Recebi a sua mensagem e vou atender o seu pedido. Vou providenciar os cedros e os pinheiros. Os meus operários levarão as toras do alto dos montes Líbanos até o mar e farão jangadas com elas. Depois as levarão beirando o litoral até o lugar que você escolher. Ali os meus operários desamarrarão as toras, e os seus operários tomarão conta delas. E eu gostaria que você fornecesse a alimentação para os meus operários.
E assim Hirão forneceu a Salomão toda a madeira de cedro e de pinho que ele pediu. E cada ano Salomão forneceu a Hirão duas mil toneladas de trigo e quatrocentos mil litros de azeite de oliva puro para alimentar os homens dele.
O Senhor Deus cumpriu a Sua promessa e deu sabedoria a Salomão. Havia paz entre Hirão e Salomão, e eles fizeram um acordo entre si.
O rei Salomão convocou em todo o Israel um grupo de trinta mil trabalhadores forçados e pôs Adonirão como chefe deles. Salomão dividiu esses trabalhadores em três grupos de dez mil homens. Cada grupo passava um mês no Líbano e dois meses em casa. Salomão também mandou à região montanhosa oitenta mil homens a fim de cortar pedras e setenta mil homens para carregá-las. Ele colocou três mil e trezentos chefes para dirigir o trabalho deles. Obedecendo às ordens do rei Salomão, eles cortaram grandes pedras de boa qualidade para os alicerces do Templo. Os trabalhadores de Salomão e de Hirão e alguns homens da cidade de Biblos prepararam as pedras e a madeira para a construção do Templo. (IREIS 5 v. 1-18)

SALOMÃO CONSTRÓI O TEMPLO

"Quatrocentos e oitenta anos depois que o povo de Israel havia saído do Egito, no quarto ano do reinado de Salomão em Israel, no mês de zive, o segundo mês, Salomão começou a construir o Templo.

O Templo foi construído com pedras que haviam sido preparadas nas pedreiras, para que assim, durante a construção, não se ouvisse o barulho de martelos, machados ou qualquer outra ferramenta.

O Deus Eterno disse a Salomão:
- Se você obedecer a todas as Minhas leis e mandamentos, Eu farei por você aquilo que prometi a Davi, o seu pai. Viverei entre o Meu povo de Israel neste Templo que você está construindo e nunca os abandonarei.

E assim Salomão terminou a construção do Templo.
Salomão também construiu o seu palácio e levou treze anos para terminá-lo." (I REIS 6 v. 1, 7, 11-14 / 7 v. 1)

LISTA RESUMIDA DOS OBJETOS DO TEMPLO

Hurã fez também caldeirões, pás e bacias e assim terminou todo o trabalho encomendado pelo rei Salomão para o Templo do Senhor. Esta é a lista do que ele fez: duas colunas; dois remates em forma de taças, que ficavam em cima das colunas; desenhos de correntes entrelaçadas de cada remate; quatrocentas romãs de bronze, em duas carreiras de cem, ao redor do desenho de cada remate; dez carretas; dez bacias; um tanque; doze touros que sustentavam o tanque; caldeirões, pás e bacias. Todos os objetos destinados ao Templo que Hurã fez para o rei Salomão eram de bronze polido.  O rei mandou que tudo fosse feito na fundição, entre Sucote e Sartã, no vale do rio Jordão. Salomão não mandou pesar esses objetos de bronze porque eram muitos, e por isso o seu peso nunca foi calculado.
Salomão também mandou fazer para o Templo os seguintes objetos de ouro: o altar; a mesa para os pães oferecidos a Deus; os dez castiçais que ficavam em frente ao Lugar Santíssimo, cinco no lado sul e cinco no lado norte; as flores, as lamparinas e as tenazes;
50  as taças, as tesouras de cortar pavios de lamparinas, as bacias, os pratos para o incenso e os braseiros; as dobradiças para as portas do Lugar Santíssimo e para as portas do Templo que davam para fora. Todos esses objetos foram feitos de ouro. Quando o rei Salomão terminou todo o trabalho do Templo, colocou na sala do tesouro do Templo todas as coisas que Davi, o seu pai, havia separado para o Senhor Deus, isto é, a prata, o ouro e outros objetos. (IREIS 7 v. 40-51)

A ARCA DO ACORDO É LEVADA PARA O TEMPLO

"Aí o rei Salomão convocou todos os chefes das tribos e dos grupos de famílias de Israel para irem encontrar-se com ele em Jerusalém a fim de levarem a arca da aliança de Deus, de Sião, a Cidade de Davi, para o Templo. Todos os israelitas se reuniram durante a Festa das Barracas, no mês de etanim, que é o sétimo mês. Quando todos os chefes chegaram, os sacerdotes pegaram a arca da aliança e a levaram para o Templo. Os levitas e os sacerdotes levaram também a Tenda da Presença de Deus com todos os seus equipamentos para o Templo. O rei Salomão e todo o povo de Israel se reuniram em frente da arca da aliança e ofereceram em sacrifício um grande número de ovelhas e touros, tantos que nem dava para contar. Então os sacerdotes levaram a arca para dentro do Templo e a colocaram onde devia ficar, no Lugar Santíssimo, debaixo das asas dos querubins. Pois as suas asas estendidas cobriam a arca e os seus cabos. As pontas dos cabos podiam ser vistas por qualquer pessoa que ficasse diretamente em frente ao Lugar Santíssimo, mas não podiam ser vistas de nenhum outro lugar. (Os cabos ainda estão ali até hoje.) Dentro da arca estavam somente as duas placas de pedra que Moisés havia colocado ali, quando, no monte Sinai, o Deus Eterno havia feito uma aliança com os israelitas depois que eles saíram do Egito.

Quando os sacerdotes estavam saindo do Lugar Santo, uma nuvem encheu o Templo do Deus Eterno  com a luz brilhante da presença do Eterno, e eles não puderam voltar para dentro a fim de realizar os seus atos de culto. Aí Salomão disse:
- Tu, ó Eterno, puseste o sol no céu embora tivesses resolvido viver entre as nuvens escuras. Mas agora eu construí para Ti uma casa, um lugar onde viverás para sempre." (I REIS 8 v. 1-13)

SALOMÃO FALA AO POVO

"Aí Salomão virou-se, olhou para o povo, que estava todo de pé, e pediu a bênção de Deus para todos. Depois disse:
- Bendito seja o Eterno, o Deus de Israel! Pois, pelo Seu poder, Ele cumpriu a promessa que tinha feito a Davi, o meu pai, quando lhe disse: 'Desde o dia em que tirei do Egito o Meu povo de Israel, Eu não escolhi nenhuma cidade de todas as tribos da terra de Israel para ali construir um templo a fim de ser adorado nele. Mas escolhi você, Davi, para governar o Meu povo.'

E Salomão continuou:
- Davi, o meu pai, tinha planos de construir um templo para a adoração do Eterno, o Deus de Israel, mas o Eterno lhe disse: 'Você fez bem quando planejou construir um templo para mim, mas você não o construirá. Será o seu filho quem construirá o Meu Templo.' E agora Deus cumpriu a sua promessa. Eu fiquei no lugar do meu pai como rei de Israel e construí o Templo para a adoração do Eterno, o Deus de Israel. Também separei no Templo um lugar para colocar a arca da aliança, onde estão guardadas as placas de pedra da aliança que o Deus Eterno fez com os nossos antepassados quando os tirou do Egito." (I REIS 8 v. 14-21)

SALOMÃO ORA A DEUS

"Então, na presença de todo o povo reunido, Salomão foi e ficou em frente do altar. Levantou as mãos para o céu e disse:
- Ó Eterno, Deus de Israel! Não há Deus igual a Ti em cima no céu nem embaixo na terra. Tu cumpres a aliança que fizeste com o Teu povo e lhes mostras o Teu amor quando eles, com todo o coração, vivem uma vida de obediência a Ti. Pelo Teu poder cumpriste a promessa que fizeste a Davi, o meu pai; no dia de hoje todas as palavras da Tua promessa foram completamente cumpridas. E agora, ó Eterno, Deus de Israel, eu Te peço que cumpras a outra promessa que fizeste ao meu pai quando lhe disseste que sempre haveria um descendente dele governando como rei de Israel, contanto que eles Te obedecessem com o mesmo cuidado com que ele obedeceu. Portanto, ó Deus de Israel, faze com que se cumpra aquilo que prometeste a Davi, o meu pai, Teu servo.

Mas será que, de fato, ó Deus, tu podes morar no meio de nós, criaturas humanas, aqui na terra? Tu és tão grande, que não cabes nem mesmo no céu; como poderia este Templo que eu construí ser bastante grande para isso? Ó Eterno, meu Deus, eu sou Teu servo. Escuta a minha oração e atende os pedidos que Te faço hoje. Olha de dia e de noite para este Templo, o lugar que escolheste para nele seres adorado. Ouve-me quando eu orar com o rosto virado para este lugar. Escuta as minhas orações e as orações do Teu povo quando eles orarem com o rosto virado para cá. Sim, da Tua casa no céu, ouve-nos e perdoa-nos.

Quando alguém for acusado de prejudicar outra pessoa e for trazido até o Teu altar neste Templo e jurar que é inocente, ó Eterno, ouve do céu e julga os Teus servos. Castiga o culpado como ele merecer e declara que não tem culpa aquele que for inocente, recompensando-o como ele merecer.

Quando, por ter pecado contra Ti, o Teu povo de Israel for derrotado pelos seus inimigos e, quando ele se virar para Ti e vier a este Templo para Te louvar e pedir o Teu perdão, escuta-o do céu. Perdoa o pecado do Teu povo e leva-o de volta para a terra que deste aos seus antepassados.

Quando o céu se fechar, e não chover, porque o Teu povo pecou contra Ti, e eles se arrependerem e virarem o rosto na direção deste Templo e orarem e Te louvarem, depois que os tiveres castigado, escuta-os do céu. Perdoa os pecados do rei e do povo de Israel e ensina-os a fazer o que é direito. Então, ó Deus, faze cair chuva sobre esta Tua terra que deste ao Teu povo para ser deles para sempre.

Quando nesta terra houver falta de alimentos, ou houver pragas, ou as colheitas forem destruídas por ventos muito quentes ou por bandos de gafanhotos, ou quando o Teu povo for atacado pelos seus inimigos, ou quando houver peste ou doença entre o povo, escuta as suas orações. Se alguém do Teu povo de Israel, sentindo no seu coração o peso da desgraça, estender as mãos na direção deste Templo e orar, escuta a sua oração. Lá do Teu lar no céu, ouve o Teu povo, perdoa-o e ajuda-o. Só Tu conheces os pensamentos secretos do coração humano. Trata cada pessoa como merecer, para que o Teu povo Te tema e Te obedeça durante todo o tempo em que eles viverem na terra que deste aos nossos antepassados.

Quando um estrangeiro que vive numa terra bem longe daqui ouvir falar da Tua fama e das grandes coisas que tens feito pelo Teu povo e vier Te adorar e orar a Ti com o rosto virado para este Templo, ouve a sua oração. Lá do céu, onde vives, escuta-o e faze tudo o que ele te pedir, para que todos os povos da terra possam te conhecer e temer, como faz o teu povo de Israel. Então eles ficarão sabendo que este Templo que eu construí é o lugar onde deves ser adorado.

Quando ordenares que o Teu povo saia para a guerra contra os seus inimigos, e o Teu povo orar a Ti, virados para esta cidade que escolheste e para este Templo que construí em honra do Teu nome, escuta do céu as suas orações e os seus pedidos. Ouve-os e dá-lhes a vitória.

Quando eles pecarem contra Ti - e não há ninguém que não peque - e na Tua ira deixares que os inimigos deles os derrotem e os levem prisioneiros para alguma terra inimiga, longe ou perto daqui, ouve as orações do  Teu povo. Se ali, naquela terra, eles se arrependerem e orarem a Ti, confessando que foram pecadores e maus, escuta as suas orações, ó Eterno. Se naquela terra eles verdadeiramente e sinceramente se arrependerem e orarem a Ti, virados na direção desta terra que deste aos nossos antepassados, desta cidade que escolheste e deste Templo que construí em honra do Teu nome, escuta as orações deles. Do Teu lar no céu ouve-os e dá-lhes a vitória. Perdoa os pecados que o Teu povo tem cometido contra Ti e a sua revolta contra Ti e faze com que os seus inimigos os tratem com bondade. Eles são o Teu povo que tiraste daquela fornalha acesa, o Egito.

Ó Senhor, nosso Deus, eu Te peço que olhes com simpatia para o Teu povo de Israel e para o seu rei e escutes as suas orações sempre que eles te chamarem pedindo ajuda.Tu os escolheste entre todos os povos para serem o Teu povo, conforme lhes disseste por meio do Teu servo Moisés, quando tiraste do Egito os nossos antepassados." (I REIS 8 v. 22-53)

SALOMÃO ABENÇOA O POVO

"Depois que Salomão acabou de orar ao Deus Eterno, ele se levantou e ficou em frente do altar, onde havia estado ajoelhado com as mãos levantadas para o céu. Então, em voz alta, pediu as bênçãos de Deus para todo o povo que estava reunido ali. Ele disse:
- Bendito seja o Deus Eterno, que deu paz ao Seu povo, como havia prometido! Ele tem cumprido todas as abençoadas promessas que fez por meio do Seu servo Moisés. Que o Eterno, nosso Deus, esteja conosco assim como esteve com os nossos antepassados! Que Ele nunca nos deixe, nem nos abandone! Que Deus nos faça obedientes a Ele, para que sempre vivamos conforme Ele quer, obedecendo a todos os mandamentos, leis e ensinos que Ele deu aos nossos antepassados!
Que o Eterno, nosso Deus, lembre sempre desta oração e dos pedidos que eu lhe fiz! Que Ele sempre tenha misericórdia do povo de Israel e do seu rei, de acordo com o que precisarem! E assim todas as nações do mundo ficarão sabendo que somente o Eterno é Deus e que não há nenhum outro. Que vocês sejam sempre fiéis ao Eterno, nosso Deus, obedecendo a todos os Seus mandamentos e leis, como fazem hoje!" (I REIS 8 v. 54-61)

A INAUGURAÇÃO DO TEMPLO

"Então o rei Salomão e todo o povo que estava ali ofereceram sacrifícios a Deus Eterno. Ele ofereceu em sacrifício vinte e dois mil bois e cento e vinte mil ovelhas como ofertas de paz. E assim o rei e todo o povo dedicaram o Templo ao serviço do Deus Eterno. Naquele mesmo dia Salomão separou, a fim de ser sagrada para Deus, a parte central do pátio que ficava em frente ao Templo. Ali ele apresentou as ofertas que foram completamente queimadas, as ofertas de cereais e a gordura dos animais que haviam sido trazidos como ofertas de paz. Salomão fez isso porque o altar de bronze era muito pequeno para todas essas ofertas.

Naquela ocasião, ali no Templo, Salomão e todo o povo de Israel comemoraram durante sete dias a Festa das Barracas. O povo era uma enorme multidão de pessoas que tinham vindo do país inteiro, desde a subida de Hamate, no Norte, até a fronteira do Egito, no Sul. No oitavo dia Salomão mandou o povo para casa. Todos pediram as bênçãos de Deus para ele e foram embora, felizes por causa de todas as coisas boas que o Deus Eterno tinha dado ao Seu servo Davi e ao Seu povo de Israel."
(I REIS 8 v. 62-66)

DEUS APARECE OUTRA VEZ A SALOMÃO

"Depois que Salomão acabou de construir o Templo e o palácio real e tudo mais que havia planejado construir, o Deus Eterno apareceu outra vez a ele, como havia aparecido em Gibeão. O Deus Eterno lhe disse:
- Eu ouvi a sua oração e o pedido que você fez na Minha presença. Declarei santo este Templo, que você construiu como o lugar onde Serei adorado para sempre. Eu tomarei conta dele e sempre o protegerei. Se você Me servir com um coração sincero e honesto como Davi, o seu pai, serviu e, se obedecer às Minhas leis e ordens e fizer tudo o que Eu mandar, então Eu cumprirei a promessa que fiz a Davi, o seu pai, quando lhe disse que Israel sempre seria governado pelos descendentes dele. Mas, se você ou os seus descendentes deixarem de Me seguir, se desobedecerem às leis e aos mandamentos que Eu lhes dei e se adorarem e servirem outros deuses, então Eu arrancarei Israel, o Meu povo, da terra que lhe dei. E também abandonarei este Templo que separei para ser o lugar onde devo ser adorado. Aí todos os povos vão desprezar e zombar de Israel. Este Templo virará um monte de ruínas, e todos os que passarem por perto dele ficarão chocados e espantados e perguntarão: 'Por que foi que Deus fez isto com esta terra e com este Templo?' E a resposta será: 'Foi porque os israelitas abandonaram o Eterno, seu Deus, que tirou os antepassados deles do Egito. Eles seguiram outros deuses, e os adoraram, e os serviram. Foi por isso que o Eterno fez com que toda esta desgraça caísse sobre eles.'
Salomão levou vinte anos para construir o Templo e o seu palácio." (I REIS  9 v. 1-10)

A VISITA DE RAINHA DE SABÁ

"A rainha de Sabá ouviu falar da fama de Salomão e foi até Jerusalém a fim de pô-lo à prova com perguntas difíceis.Ela chegou com um grande grupo de servidores e também com camelos carregados de especiarias, pedras preciosas e uma grande quantidade de ouro. Quando se encontrou com Salomão, ela lhe fez todas as perguntas que pôde imaginar.Ele respondeu a todas; não houve nenhuma que fosse difícil demais para ele responder. A rainha de Sabá ouviu a sabedoria de Salomão e viu o palácio que ele havia construído. Ela viu a comida que era servida na mesa dele, viu os apartamentos dos seus altos funcionários, a organização do pessoal que trabalhava no palácio e os uniformes que eles usavam. Viu os empregados que o serviam nas festas e os sacrifícios que ele oferecia no Templo. Isso tudo a deixou de boca aberta e muito admirada. Então ela disse ao rei Salomão:
- Tudo aquilo que eu ouvi no meu país a respeito de você e da sua sabedoria é, de fato, verdade. Porém eu não pude acreditar até que vim e vi com os meus próprios olhos. Acontece que não tinham me contado nem a metade. A sua sabedoria e a sua riqueza são muito maiores do que ouvi dizer. Como são felizes as suas esposas! Que sorte têm os seus servidores, que estão sempre ao seu lado e têm o privilégio de ouvir os seus sábios provérbios! Bendito seja o Eterno, seu Deus, que ficou tão contente com você, que o tornou rei de Israel! O amor dele por Israel é eterno; por isso, ele o tornou rei de Israel, para que você possa manter a lei e a justiça.

Ela entregou ao rei os presentes que havia trazido: mais de quatro mil quilos de ouro e uma grande quantidade de especiarias e pedras preciosas. Nunca mais veio uma quantidade tão grande de especiarias como a que a rainha de Sabá deu a Salomão.

(Os navios de Hirão, que haviam trazido ouro da terra de Ofir, também trouxeram de lá uma grande quantidade de madeira de sândalo e pedras preciosas. Salomão usou a madeira para fazer corrimãos para o Templo e para o palácio e também fez harpas e liras para os músicos. Foi a primeira vez que se viu essa madeira em Israel, e até hoje nunca mais se viu ali madeira igual àquela.) O rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo o que ela quis e pediu, além de todos os outros presentes de costume. Então a rainha e os seus servidores voltaram para Sabá, a sua terra." (I REIS 10 v. 1-13)


 

©2011 ALL RIGHS RESERVED / TODOS OS DIREITOS RESERVADOS