CARTA AOS
HEBREUS

Os cristãos a quem esse livro foi escrito eram de origem judaica, e é por isso que o livro é chamado de Carta aos Hebreus. Eles estavam sendo perseguidos e poderiam abandonar a fé cristã e voltar a religião dos seus antepassados. O livro parece mais um discurso ou um sermão do que uma carta; o autor não diz quem é nem diz a quem está escrevendo. Só no fim do livro é que aparecem umas poucas referências a pessoas (13 v. 22-24). Ninguém sabe com certeza quem escreveu este belo sermão.

O autor deste livro procura provar aos leitores que é por meio de Jesus Cristo que Deus envia a mensagem mais perfeita a respeito de Si mesmo: Jesus é a revelação completa e eterna de Deus. Ele é o Filho de Deus, superior aos profetas do Antigo Testamento, aos anjos e a Moisés e Josué. Ele é o eterno Grande Sacerdote que se oferece a Si mesmo como sacrifício perfeito a Deus a fim de tirar os pecados da humanidade. É por meio Dele que Deus faz o novo e perfeito acordo com o Seu povo. E é por meio de Jesus Cristo que se consegue a salvação eterna.

No capítulo 11 o autor cita os nomes dos heróis da fé, as personagens do Antigo Testamento que continuaram firmes na sua fé em Deus mesmo tendo de enfrentar derrotas, perseguições e martírio. Recomenda, pois, que os leitores prestem atenção e não se desviem do caminho da fé, mas prossigam firmes até o fim. Depois de vários conselhos, o autor termina com uma oração e saudações pessoais.

O FILHO DE DEUS

"Antigamente, por meio dos profetas, Deus falou muitas vezes e de muitas maneiras aos nossos antepassados, mas nestes últimos tempos Ele nos falou por meio do Seu Filho. Foi Ele quem Deus escolheu para possuir todas as coisas e foi por meio Dele que Deus criou o Universo. O Filho brilha com o brilho da glória de Deus e é a perfeita semelhança do próprio Deus. Ele sustenta o Universo com a Sua palavra poderosa. E, depois de ter purificado os seres humanos dos seus pecados, sentou-se no céu, do lado direito de Deus, o Todo-Poderoso." (HEBREUS 1 v. 1-3)

O FILHO E OS ANJOS

"Assim Deus fez com que o Filho fosse superior aos anjos e lhe deu um nome que é superior ao nome deles. Pois Deus nunca disse a nenhum dos Seus anjos:

'Você é o meu Filho;
hoje Eu Me tornei o Seu Pai.'

E também não disse a respeito de nenhum anjo:
'Eu serei o Pai dele, e ele será o Meu Filho.'

 Porém, quando Deus enviou ao mundo o Seu primeiro Filho, Ele disse:
'Que todos os anjos de Deus o adorem.'

A respeito dos anjos Deus disse:
'Deus faz com que os Seus anjos
se tornem ventos e os Seus servidores,
chamas de fogo.'

Mas a respeito do Filho Ele disse:
'O teu Reino, ó Deus,
vai durar para todo o sempre.
Tu governarás o Teu povo com justiça.
Tu amas o bem e odeias o mal.
Foi por isso que Deus, o teu Deus,
te escolheu
e te deu a alegria de receber uma honra
muito maior do que a dos Teus companheiros.'

E as Escrituras também dizem:
'Tu, Senhor, no começo criaste a terra e,
com as Tuas próprias mãos, fizeste os céus.
A terra e o céu vão acabar,
mas Tu viverás para sempre.
Eles ficarão velhos como roupa;
Tu os dobrarás como se dobra um casaco,
e serão trocados como se troca de roupa.
Mas Tu és sempre o mesmo,
e a Tua vida não tem fim.'

Deus nunca disse a nenhum dos Seus anjos:
'Sente-se do Meu lado direito,
até que eu ponha os sSus inimigos
como estrado debaixo dos Seus pés.'

Então, o que são os anjos? Todos eles são espíritos que servem a Deus, os quais Ele envia para ajudar os que vão receber a salvação." (HEBREUS 1 v. 4-14)

A GRANDE SALVAÇÃO

"Por isso devemos prestar mais atenção nas verdades que temos ouvido, para não nos desviarmos delas. Não há dúvida de que a mensagem que foi dada por meio dos anjos é verdadeira; e aqueles que não a seguiram nem foram obedientes a ela receberam o castigo que mereciam. Sendo assim, como é que nós escaparemos do castigo se desprezarmos uma salvação tão grande? Primeiro, o próprio Senhor Jesus anunciou essa salvação; e depois aqueles que a ouviram nos provaram que ela é verdadeira. Ao mesmo tempo, por meio de sinais de poder, maravilhas e muitos tipos de milagres, Deus confirmou o testemunho deles. E, de acordo com a Sua vontade, distribuiu também os dons do Espírito Santo." (HEBREUS 2 v. 1-4)

JESUS CRISTO, O SALVADOR

"Pois Deus não deu aos anjos o poder de governar o mundo novo que está por vir, o mundo do qual estamos falando. Pelo contrário, em alguma parte das Escrituras Sagradas alguém afirma:

'Que é um simples ser humano,
ó Deus, para que penses nele?
Que é o ser mortal para que
Te preocupes com ele?
Tu o colocaste por pouco tempo em
posição inferior à dos anjos,
Tu lhe deste a glória e a honra de um rei
e puseste todas as coisas debaixo do domínio Dele.'

Quando se diz que Deus pôs 'todas as coisas debaixo do domínio dele', isso quer dizer que nada ficou de fora. Porém não vemos o ser humano governando hoje todas as coisas. Mas nós vemos Jesus fazendo isso. Por um pouco de tempo Ele foi colocado em posição inferior à dos anjos, para que, pela graça de Deus, Ele morresse por todas as pessoas. Agora nós o vemos coroado de glória e de honra por causa da morte que Ele sofreu. Pois Deus, que cria e sustenta todas as coisas, fez o que era apropriado e tornou Jesus perfeito por meio do sofrimento. Deus fez isso a fim de que muitos, isto é, os Seus filhos, tomassem parte na glória de Jesus. Pois é Jesus quem os guia para a salvação.

Jesus purifica as pessoas dos seus pecados; e todos, tanto Ele como os que são purificados, têm o mesmo Pai. É por isso que Jesus não se envergonha de chamá-los de irmãos. Como Ele diz:
'Ó Deus, Eu falarei a respeito de Ti
aos meus irmãos
e Te louvarei na reunião do povo.'

Diz também:
'Eu confiarei nele.'

E diz ainda:
'Aqui estou Eu com os filhos que Deus
me deu.'

Os filhos, como Ele os chama, são pessoas de carne e sangue. E por isso o próprio Jesus se tornou igual a eles, tomando parte na natureza humana deles. Ele fez isso para que, por meio da Sua morte, pudesse destruir o Diabo, que tem poder sobre a morte. E também para libertar os que foram escravos toda a sua vida por causa do medo da morte. É claro que Ele não veio para ajudar os anjos. Em vez disso, como dizem as Escrituras: “Ele ajuda os descendentes de Abraão.”  Isso quer dizer que foi preciso que Jesus se tornasse em tudo igual aos Seus irmãos a fim de ser o Grande Sacerdote deles, bondoso e fiel no Seu serviço a Deus, para que os pecados do povo fossem perdoados. E agora Jesus pode ajudar os que são tentados, pois Ele mesmo foi tentado e sofreu." (HEBREUS  2 v. 5-18)

JESUS E MOISÉS

"Meus irmãos na fé, vocês que também foram chamados por Deus, olhem para Jesus, que Deus enviou para ser o Grande Sacerdote da fé que professamos. Pois Ele foi fiel a Deus, que o escolheu para esse serviço, assim como Moisés foi fiel no seu trabalho em toda a casa de Deus. Assim como a pessoa que constrói uma casa é mais importante do que a casa, assim, também, Jesus é mais importante do que Moisés. Uma casa tem de ser construída por alguém, mas Deus é o construtor de tudo o que existe. E Moisés foi um servo fiel no seu trabalho na casa de Deus e falou das coisas que Deus ia dizer no futuro. Mas Cristo é fiel como Filho, que dirige a casa de Deus. E nós seremos a Sua casa se conservarmos a nossa coragem e a nossa confiança naquilo que esperamos." (HEBREUS 3 v. 1-6)

O DESCANSO DO POVO DE DEUS

"Por isso, como diz o Espírito Santo:
'Se hoje vocês ouvirem a voz de Deus,
não sejam teimosos como foram
os seus antepassados
quando se revoltaram contra Ele,
no dia em que eles
o puseram à prova no deserto.

Ali os antepassados de vocês me
desafiaram e me puseram à prova,
embora eles tivessem visto
o que Eu fiz durante quarenta anos.
Por isso fiquei irritado
com aquela gente e disse:
‘Eles são gente de coração perverso
e não querem obedecer aos
Meus mandamentos.’
Eu fiquei irado e fiz este juramento:
‘Eles nunca entrarão na Terra Prometida,
onde Eu lhes teria dado descanso!'

Meus irmãos, cuidado para que nenhum de vocês tenha um coração tão mau e descrente, que o leve a se afastar do Deus vivo. Pelo contrário, enquanto esse 'hoje' de que falam as Escrituras Sagradas se aplicar a nós, animem uns aos outros, a fim de que nenhum de vocês se deixe enganar pelo pecado, nem endureça o seu coração. Pois seremos companheiros de Cristo se continuarmos firmes até o fim na confiança que temos tido desde o princípio. É isso o que as Escrituras Sagradas dizem:

'Se hoje vocês ouvirem a voz de Deus,
não sejam teimosos
como foram os seus antepassados
quando se revoltaram contra Ele.'

Quem foi que ouviu a voz de Deus e se revoltou contra Ele? Foram todos os que Moisés tirou do Egito. Com quem foi que Deus se irritou durante quarenta anos? Foi com os que pecaram e caíram mortos no deserto. E de quem é que Deus estava falando quando fez este juramento: 'Eles nunca entrarão na Terra Prometida, onde Eu lhes teria dado descanso'? Ele estava falando das pessoas que se revoltaram. Portanto, vemos que elas não puderam entrar na Terra Prometida porque não tiveram fé.

Deus nos deixou a promessa de que podemos receber o descanso de que Ele falou. Portanto, tenhamos muito cuidado para que Deus não julgue que algum de vocês tenha falhado, deixando assim de receber esse descanso. Pois, assim como aquelas pessoas ouviram, também nós ouvimos a boa notícia. Elas ouviram a mensagem, porém ela não lhes fez nenhum bem porque, quando a ouviram, não a receberam com fé. Portanto, nós, os que cremos, recebemos o descanso prometido por Deus, como ele mesmo disse:

'Eu fiquei irado e fiz este juramento:
‘Eles nunca entrarão na Terra Prometida,
onde Eu lhes teria dado descanso!’'.

Ele disse isso, embora o Seu trabalho já estivesse terminado desde o tempo em que havia criado o mundo. Pois a respeito do sétimo dia está escrito o seguinte em alguma parte das Escrituras Sagradas: 'No sétimo dia Deus descansou de todo o trabalho que Ele havia feito.' E o mesmo assunto é repetido: 'Eles nunca entrarão na Terra Prometida, onde Eu lhes teria dado descanso.' Aqueles que foram os primeiros a ouvir a boa notícia não tiveram fé e por isso não receberam esse descanso. Portanto, há outros que vão recebê-lo. A prova disso é que Deus marca outro dia, chamado “hoje”. Ele falou disso, muitos anos depois, por meio de Davi, no trecho das Escrituras já citado:

'Se hoje vocês ouvirem a voz de Deus,
não sejam teimosos.'

Se Josué tivesse dado ao povo esse descanso, Deus não teria falado mais tarde a respeito de outro dia. Assim ainda fica para o povo de Deus um descanso, como o descanso de Deus no sétimo dia. Porque quem receber o descanso que Deus prometeu vai descansar de todos os seus trabalhos, assim como Deus descansou dos trabalhos Dele. Portanto, façamos tudo para receber esse descanso, e assim nenhum de nós deixará de recebê-lo, como aconteceu com aquelas pessoas, por terem se revoltado.

Pois a palavra de Deus é viva e poderosa e corta mais do que qualquer espada afiada dos dois lados. Ela vai até o lugar mais fundo da alma e do espírito, vai até o íntimo das pessoas e julga os desejos e pensamentos do coração delas. Não há nada que se possa esconder de Deus. Em toda a criação, tudo está descoberto e aberto diante dos seus olhos, e é a ele que todos nós teremos de prestar contas." (HEBREUS 3 v. 7-19 / 4 v. 1-13)

JESUS, O GRANDE SACERDOTE

"Portanto, fiquemos firmes na fé que anunciamos, pois temos um Grande Sacerdote poderoso, Jesus, o Filho de Deus, o qual entrou na própria presença de Deus. O nosso Grande Sacerdote não é como aqueles que não são capazes de compreender as nossas fraquezas. Pelo contrário, temos um Grande Sacerdote que foi tentado do mesmo modo que nós, mas não pecou. Por isso tenhamos confiança e cheguemos perto do trono divino, onde está a graça de Deus. Ali receberemos misericórdia e encontraremos graça sempre que precisarmos de ajuda.

Cada Grande Sacerdote é escolhido entre os homens e nomeado para servir a Deus em favor do povo, apresentando a Deus ofertas e sacrifícios pelos pecados. Como ele próprio tem as suas fraquezas, pode ter paciência com os ignorantes e com os que cometem erros. E, porque ele mesmo é fraco, precisa oferecer sacrifícios não somente pelos pecados do povo, mas também pelos seus próprios pecados. Ninguém escolhe para si mesmo a honra de ser Grande Sacerdote. É somente pela vontade de Deus que um homem é chamado para ser Grande Sacerdote, como aconteceu com Arão.

Assim também Cristo não tomou para Si mesmo a honra de ser Grande Sacerdote; foi Deus quem lhe deu essa honra, pois lhe disse:

'Você é o Meu Filho;
hoje Eu Me tornei o Seu Pai.'

Em outro lugar das Escrituras Sagradas, ele também disse:

'Você será sacerdote para sempre,
na ordem do sacerdócio de Melquisedeque.'

Durante a Sua vida aqui na terra, Cristo, em voz alta e com lágrimas, fez orações e súplicas a Deus, que o podia salvar da morte. E as Suas orações foram atendidas porque Ele era dedicado a Deus. Embora fosse o Filho de Deus, Ele aprendeu, por meio dos Seus sofrimentos, a ser obediente. E, depois de ser aperfeiçoado, Ele se tornou a fonte da salvação eterna para todos os que Lhe obedecem. E Deus o nomeou Grande Sacerdote, na ordem do sacerdócio de Melquisedeque." (HEBREUS 4 v. 14-16 / 5 v. 1-10)

O PERIGO DE ABANDONAR A FÉ

"Temos muito o que dizer a respeito desse assunto; mas, porque vocês custam a entender as coisas, é difícil explicá-las. Depois de tanto tempo, vocês já deviam ser mestres, mas ainda precisam de alguém que lhes ensine as primeiras lições dos ensinamentos de Deus. Em vez de alimento sólido, vocês ainda precisam de leite.  E quem precisa de leite ainda é criança e não tem nenhuma experiência para saber o que está certo ou errado. Porém a comida dos adultos é sólida, pois eles pela prática sabem a diferença entre o que é bom e o que é mau.

Assim, vamos em frente a fim de chegarmos ao ensinamento de adultos, deixando para trás as primeiras lições da mensagem de Cristo. Nós não vamos colocar de novo as bases dessa mensagem, isto é, a necessidade de abandonar uma vida inútil e de crer em Deus; o ensinamento a respeito dos batismos e da cerimônia de pôr as mãos sobre os cristãos; e a ressurreição dos mortos e o julgamento eterno. Vamos em frente! E, se Deus quiser, é isso o que faremos.

Como é que as pessoas que abandonaram a fé podem se arrepender de novo? Elas já estavam na luz de Deus. Já haviam experimentado o dom do céu e recebido a sua parte do Espírito Santo. Já haviam conhecido por experiência que a palavra de Deus é boa e tinham experimentado os poderes do mundo que há de vir.bMas depois abandonaram a fé. É impossível levar essas pessoas a se arrependerem de novo, pois estão crucificando outra vez o Filho de Deus e zombando publicamente Dele.

Deus abençoa a terra que recebe a chuva, a qual muitas vezes cai sobre ela e produz plantas úteis para aqueles que trabalham nela. Mas a terra que produz mato e espinhos não serve para nada; ela corre o perigo de ser amaldiçoada por Deus e acaba sendo queimada.

Porém, ainda que falemos dessa maneira, meus queridos irmãos, estamos certos de que vocês têm as melhores bênçãos que vêm da salvação. Deus não é injusto. Ele não esquece o trabalho que vocês fizeram nem o amor que lhe mostraram na ajuda que deram e ainda estão dando aos seus irmãos na fé. O nosso profundo desejo é que cada um de vocês continue com entusiasmo até o fim, para que, de fato, recebam o que esperam. Não queremos que se tornem preguiçosos, mas que sejam como os que crêem e têm paciência, para que assim recebam o que Deus prometeu." (HEBREUS 5 v. 11-13 / 6 v. 1-12)

A CERTEZA DA PROMESSA DE DEUS

"Deus fez a promessa a Abraão e jurou cumpri-la. E, como não havia ninguém maior do que Ele mesmo, Deus jurou pelo Seu próprio nome. Ele disse a Abraão: 'Eu prometo que abençoarei você ricamente e lhe darei muitos descendentes.' Abraão teve paciência e por isso recebeu o que Deus havia prometido. Quando alguém jura, usa o nome de uma pessoa que é maior do que ele, e o juramento acaba com qualquer discussão. Deus quis deixar bem claro aos que iam receber o que Ele havia prometido que jamais mudaria a Sua decisão. Por isso, junto com a promessa, fez o juramento. Portanto, há duas coisas que não podem ser mudadas, e a respeito delas Deus não pode mentir. E assim nós, que encontramos segurança Nele, nos sentimos muito encorajados a nos manter firmes na esperança que nos foi dada. Essa esperança mantém segura e firme a nossa vida, assim como a âncora mantém seguro o barco. Ela passa pela cortina do templo do céu e entra no Lugar Santíssimo celestial. Foi lá que, para o nosso bem, Jesus entrou antes de nós. E Ele se tornou para sempre o Grande Sacerdote, na ordem do sacerdócio de Melquisedeque." (HEBREUS 6 v. 13-20)

MELQUISEDEQUE, REI E SACERDOTE

"Esse Melquisedeque era rei da cidade de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo. Quando Abraão estava voltando da batalha em que matou os reis, Melquisedeque foi ao encontro dele e o abençoou. Abraão lhe deu a décima parte de tudo o que ele havia tomado dos inimigos na batalha. O nome de Melquisedeque quer dizer primeiramente 'Rei da Justiça'. E, porque ele era rei de Salém, o seu nome também quer dizer 'Rei da Paz'. Não se conhece o pai, nem a mãe, nem qualquer antepassado de Melquisedeque. E também não se sabe nada sobre o seu nascimento ou sobre a sua morte. Por ser como o Filho de Deus, ele continua sacerdote para sempre.

Vejam como Melquisedeque era grande: Abraão, o patriarca, lhe deu a décima parte de tudo o que havia tomado dos inimigos na batalha. Conforme a Lei de Moisés, os sacerdotes, que são descendentes de Levi, têm a obrigação de receber do povo a décima parte de tudo. Eles recebem dos seus próprios patrícios, embora estes também sejam descendentes de Abraão. Melquisedeque não era descendente de Levi, mas recebeu a décima parte daquilo que Abraão havia tomado na batalha e o abençoou. Sim, abençoou o próprio Abraão, que havia recebido as promessas de Deus. Não há dúvida de que aquele que abençoa é mais importante do que aquele que é abençoado. No caso dos sacerdotes, a décima parte é recebida por homens que um dia vão morrer. Mas, no caso de Melquisedeque, como dizem as Escrituras Sagradas, a décima parte foi recebida por alguém que continua vivo. Portanto, quando Abraão pagou a décima parte, Levi, cujos descendentes recebem a décima parte, também pagou. Pois Levi não tinha nascido, e, por assim dizer, ainda estava no corpo do seu antepassado Abraão quando este se encontrou com Melquisedeque.

A lei que o povo de Israel recebeu se baseava no sacerdócio dos levitas. Ora, se o trabalho dos sacerdotes levitas tivesse sido perfeito, não haveria necessidade de aparecer outro tipo de sacerdote, da ordem do sacerdócio de Melquisedeque e não da ordem de Arão. Pois, quando se muda o sacerdócio, a lei também precisa ser mudada. E o nosso Senhor Jesus, a respeito de quem são ditas essas coisas, pertencia a outra tribo. E nenhum membro dessa tribo jamais serviu como sacerdote. É sabido que, por nascimento, Jesus, o nosso Senhor, pertencia à tribo de Judá, e Moisés não disse nada dessa tribo quando falou a respeito de sacerdotes." (HEBREUS 7 v. 1-15)

OUTRO SACERDOTE COMO MELQUISEDEQUE

"E tudo isso se torna bem mais claro, pois surgiu um sacerdote diferente, parecido com Melquisedeque. Ele não foi feito sacerdote pelas leis ou regras humanas, porém se tornou sacerdote por meio do poder de uma vida que não tem fim. Porque as Escrituras Sagradas dizem: 'Você será sacerdote para sempre, na ordem do sacerdócio de Melquisedeque.'  Assim a regra antiga foi anulada porque era fraca e inútil. Pois a lei não podia aperfeiçoar nada. Mas agora Deus nos deu uma esperança melhor, por meio da qual chegamos perto Dele.

Além disso, há o juramento de Deus. Não houve juramento quando os outros se tornaram sacerdotes. Porém houve juramento quando Jesus se tornou sacerdote, pois Deus lhe disse:

'O Senhor jurou e não voltará atrás.
Ele disse: ‘Você será sacerdote para sempre.’'

Portanto, essa diferença também faz com que Jesus seja a garantia de uma aliança melhor.

Há ainda outra diferença: os outros sacerdotes foram muitos porque morriam e não podiam continuar o seu trabalho. Mas Jesus vive para sempre, e o seu sacerdócio não passa para ninguém. E por isso Ele pode, hoje e sempre, salvar as pessoas que vão a Deus por meio Dele, porque Jesus vive para sempre a fim de pedir a Deus em favor delas.

Por isso Jesus é o Grande Sacerdote de que necessitamos. Ele é perfeito e não tem nenhum pecado ou falha. Ele foi separado dos pecadores e elevado acima dos céus. Ele não é como os outros Grandes Sacerdotes; não precisa oferecer sacrifícios todos os dias, primeiro pelos seus próprios pecados e depois pelos pecados do povo. Ele ofereceu um sacrifício, uma vez por todas, quando se ofereceu a si mesmo. A Lei de Moisés escolheu homens, que são imperfeitos, para serem Grandes Sacerdotes. Mas, pela promessa feita com juramento, a qual veio depois da Lei de Moisés, Deus escolhe o Filho, que se tornou perfeito para sempre."
(HEBREUS 7 v. 15-28)


 

©2011 ALL RIGHS RESERVED / TODOS OS DIREITOS RESERVADOS